Tributo à Reforma Protestante – 31/10/1517




De Mansfield, o Cisne Áureo,
Eleito dentre os maiorais:
Para Reformador da Igreja,
Propensões espirituais.
Do Direito e das Artes,
Aos cuidados paroquiais,
Encontrou na Universidade,
Entre linguagens e sinais,
Uma Bíblia em latim;
E dos céus, abriram-se os portais!
Motivado a listar seus pecados,
Desafetos habituais,
Enfrenta sua pior inimiga,
Constante a furtar-lhe a paz:
Sua consciência.
Grandes foram os esforços,
Flagelos penitenciais,
Mas apenas a verdade de Cristo,
Transformaria seus radicais.
Devoto clérigo agostiniano,
Naqueles primórdios medievais,
Foi enviado a Roma:
Corrupções eclesiais.
Retornou entristecido,
Sentimentos paradoxais;
Mas foi Romanos 1:17,
Que devolveu o barco ao cais:
“Mas o Justo Viverá da Fé”!
E além dos entornos textuais,
Cristo, Escritura, Graça, Fé e Glórias a Deus,
Tornaram-se pilares fundamentais.
Após as heresias de Johann Tetzel,
Anuídas por Cardeais,
31 de outubro de 1517,
Emergem-se reestruturações triunfais.
Lutero fixou as 95 teses,
Com suas próprias digitais,
Na porta da Igreja do Castelo,
Iniciando-se os brados marciais,
Da Reforma Protestante:
Alicerces fundacionais.
Perante seus escritos tipografados,
Dieta de Worms, junto aos principais,
No segundo dia, não houve retratação:
Fé e razão foram diferenciais!
Foi fiel à sua consciência,
E irritou os Oficiais:
Foi guardado com o Príncipe da Saxônia,
Em seus aposentos reais.
Em 11 semanas traduziu o Novo Testamento,
Abalando os objetivos infernais;
1529, segunda Dieta de Espira,
Buscando-se calar reformadores e ideais,
Deus levantou protesto e protestantes,
E nada pode detê-los, não mais:
Agora, decorridos mais de 500 anos,
Em análises circunstanciais,
Faz-se necessária nova reforma,
Introdução ao sexto sola,
Oh, Espírito Santo, convençais:
Que o preço da salvação já foi pago,
Que pela Graça há remissão dos pecados,
Que a porta é o Cristo Glorificado,
E pela Escritura, transformais:
Nosso interior, dia a dia,
Dissipando nossas pessoais heresias,
Até entrarmos pelos portões celestiais!

Autoria: Tatiane Nascimento
Declamação e edição de áudio: Gabriel Oliveira