Olhe para trás!




Encontramos na palavra de Deus várias advertências para não olharmos para trás. Muitas pessoas se prendem ao seu passado de tal forma que paralisam o seu presente e prejudicam o seu futuro. Escrevendo aos filipenses Paulo afirmou esquecer as coisas que ficavam para trás e avançar para as que estavam adiante (Fp 3.13); e assim também nós devemos fazer. Os erros do passado não podem nos impedir de acertar hoje, assim como as glórias do passado não devem se tornar um obstáculo que nos impeça ir em busca de algo maior.

Entretanto a Palavra de Deus nos mostra que há maneiras saudáveis de olhar para trás. Deus pode fazer com que as lembranças se tornem em lições e força motivadora para o tempo que estamos vivendo agora. Olhar para trás nem sempre é ruim, o próprio Deus nos convoca em Sua palavra a fazermos isso a fim de trazer algum benefício ao nosso coração. Quando a Bíblia diz para não olharmos para trás, isto significa desprendimento, e quando ela nos ordena fazê-lo se constitui em aprendizado e encorajamento.

Olhar para trás quebra o orgulho

Grande parte das pessoas que ocupam altas posições hoje, tiveram uma vida simples outrora. Ouvimos falar de alguns que eram vendedores ambulantes e se tornaram empresários de sucesso; jovens de cidades interioranas que vieram para as metrópoles e hoje são cantores famosos, e até pregadores que saíram do canavial para terem seus nomes estampados nos anúncios de grandes eventos.

É maravilhoso ver como Deus realiza sonhos e louvamos o Seu nome por isso. Porém, todo esse triunfo deve ser regado a uma boa dose de humildade, pois não são poucos aqueles que se tornam orgulhosos quando colocam os pés no patamar do sucesso.  Alguns chegam a pisotear naqueles que um dia pavimentaram seu caminho de glória, esquecendo-se de que foi Deus quem os promoveu e que Ele fez isso por meio de outras pessoas – em sua maioria humildes e simples.  Muitos filhos se formaram em boas faculdades com o esforço de pais analfabetos que trabalharam duro sob o sol escaldante para custear um curso que não é barato, tudo isso para dar um futuro de qualidade aos seus filhos. Mas são esses mesmos filhos (não dizemos de todos) que se esquecem de seus pais – e até maltratam – quando estão em posições de honra e com pessoas chiques!

É justamente nessas horas que olhar para trás pode ser um remédio eficaz contra o orgulho. Lembrar de quem éramos e de quem nos ajudou é uma arma contra a soberba residente em nosso coração. Conta-se a história de um pregador que sempre carregava consigo uma maleta, ao chegar nos eventos onde ia pregar, ele sempre olhava dentro dela e lágrimas corriam de seus olhos. Certa vez alguém lhe perguntou o que ele trazia ali e lhe fazia chorar. Ele respondeu que era um par de botas sujas de lama que usava em seu antigo trabalho, e explicou que fazia aquilo para se lembrar de que era apenas barro e não esquecer de onde o Senhor o havia tirado.

Quando Davi queria edificar um templo ao Senhor, Deus lhe trouxe à memória seu passado através do profeta Natã: “Agora, pois, assim dirás ao meu servo Davi. Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Eu te tomei da malhada, de detrás das ovelhas, para que fosses o soberano sobre o meu povo, sobre Israel” (2Sm 7.8). Anos mais tarde o salmista Asafe relembra as raízes do rei Davi: “Também elegeu a Davi seu servo, e o tirou dos apriscos das ovelhas; e o tirou do cuidado das que se acharam prenhes; para apascentar a Jacó, seu povo, e a Israel, sua herança” (Sl 78.70,71). Embora estas passagens não tratam de nenhum orgulho no coração de Davi, elas nos ensinam sobre a necessidade de sempre ter em mente os nossos começos. Deus havia tirado aquele jovenzinho ruivo do curral e o colocado no trono, fazendo dele o mais proeminente rei do povo judeu. Davi precisava voltar ao passado e nós também. Sempre que seu coração for tentado a orgulhar-se das glórias que desfruta hoje, volte lá atrás e sinta o cheiro do curral, isto faz bem.

Olhar para trás inspira fé

Olhar para trás não só mata o orgulho como também dá vida a fé. O cristão pode olhar para o futuro confiadamente apesar de não conhecê-lo. O que Deus fez por nós no passado é a garantia de que Ele continuará nos sustentando lá na frente. Mais uma vez podemos aprender das palavras da Asafe aqui, em estado de profunda angústia ele escreveu o Salmo 77, e o seu consolo foi olhar para trás. Refletindo no cuidado de Deus pelo Seu povo disse: “Considerava os dias da antiguidade, os anos dos tempos antigos. De noite chamei à lembrança o meu cântico; meditei em meu coração, e o meu espírito esquadrinhou. […] Eu me lembrarei das obras do SENHOR; certamente que eu me lembrarei das tuas maravilhas da antiguidade” (Sl 77.5,6,11). Para manter a esperança quanto ao futuro, Asafe se lembrou dos “anos da destra do Altíssimo” (Sl 77.10).

A história de Davi muito nos ensina neste aspecto também. Quando ele foi lutar contra Golias até o rei Saul se espantou da sua coragem a ponto de lhe oferecer sua própria armadura, mas por nunca ter usado aparatos militares, mau conseguia andar; então tirou de sobre si aqueles instrumentos de guerra. Davi, porém, se agarrou ao seu passado e contou ao rei as maravilhas do Senhor. “Disse mais Davi: O SENHOR me livrou das garras do leão, e das garras do urso; ele me livrará da mão deste filisteu” (1Sm 17.37). Atente bem para palavras “livrou” e “livrará”. Ambas derivam do mesmo verbo (livrar), porém a primeira está conjugada no passado e a outra no futuro. Isto nos ensina que a vitória que Deus havia concedido a Davi no passado era o penhor de sua vitória contra Golias. “O Senhor livrou, o Senhor livrará”; o que havia acontecido era suporte para o que haveria de acontecer, Davi nisto e nós já sabemos o final da história.

Veja: o urso e o leão estão mortos!

Querido irmão (ã), se você se sente frustrado quanto ao presente e desanimado em relação ao futuro, olha para o seu passado e verá como a mão graciosa do Senhor te guiou até aqui. Quantas bênçãos e livramentos Ele te concedeu, e isto é evidência da fidelidade do Senhor com você. O Deus que não te abandonou e não te abandonará. Antes de enfrentar o “Golias” olhe para trás e veja: o urso e o leão estão mortos! O Senhor hoje nos convida: “Lembrai-vos das coisas passadas” (Is 46.9).

Em Cristo,

Gabriel Oliveira