O que é andar no Espírito?




Enoque e Noé: estes são os únicos nomes que o livro de Gênesis testemunha de forma clara e inequívoca que andaram com Deus (Gn 5.22,24; 6.9). Quão imensurável foi o privilégio desses homens! Mas você já parou para pensar que esta não é uma prerrogativa exclusiva deles ou de uma elite espiritual? Se no Antigo Testamento onde havia limites para se chegar a Deus (Êx 19.12), e um véu separava o povo do lugar Santíssimo (Hb 9.1-8), homens andaram com Deus, quanto mais agora que o véu foi rasgado e Cristo nos reconciliou com o Pai! O Espírito Santo é uma das Pessoas da Trindade, isto significa que Ele é Deus tal como o Pai e o Filho, sendo assim, andar no Espírito é andar com Deus (Gl 5.16); mas, o que isso de fato significa e quais suas implicações para o nossa vida?

Padrão de comportamento

Por vezes a Escritura usa o verbo “andar” para indicar, de forma figurada, um estilo de vida ou padrão de comportamento. Tomemos como exemplo o reino dividido de Israel. O Reino do Norte foi marcado por uma sucessão de reis impiedosos que imitaram a conduta de Jeroboão, o seu primeiro rei. Este homem tornou-se um péssimo exemplo para as gerações futuras, seu filho Nadabe, “fez o que era mau aos olhos do SENHOR; e andou nos caminhos de seu pai (1Rs 15.26). A expressão “andou nos caminhos do seu pai”, significa que ele imitou o proceder pecaminoso do seu genitor, e o mesmo fizeram os reis Baasa, Onri e Acazias (1Rs 15.34; 16. 25,26; 22.53). A mesma ideia é usada de forma positiva para se referir a Josias, diz a Escritura que ele “andou em todo o caminho de Davi” (2Rs 22.2), uma alusão ao seu proceder piedoso como o homem que foi segundo o coração de Deus.

O padrão do mundo é completamente diferente daquele que o cristão deve adotar para si (Ef 4.1,17; 5.2). O Espírito Santo é o Espírito de Cristo, e andar no Espírito significa incorporar em nosso dia a dia o modelo de vida que Cristo viveu. Para cada situação diante de nós é como se a nossa consciência redimida nos perguntasse: “O que faria Jesus em seus passos?”, e uma vez que temos a resposta, agir da mesma maneira. “Aquele que diz que está nEle, […] deve andar como Ele andou” (1Jo 2.6).

Ação contínua

O tempo verbal usado por Paulo quando diz “andai no Espírito”, indica uma ação contínua que nos remete a ideia de progresso. Quem caminha com o Espírito Santo não fica estagnado espiritualmente, mas está em uma constante evolução, crescendo na graça e no conhecimento de Deus.

Infelizmente muitos cristãos paralisaram na fé, fazendo pouco ou nenhum progresso em sua jornada. O tempo passou, mas eles permanecem “crianças em Cristo” (1Co 3.1; Hb 5.12 – ARA). Eles vivem das pregações de domingo e das orações dos outros, mas não da sua própria devoção pessoal e diária a Jesus Cristo na Palavra e na oração. São como bebês que precisam ser carregados no colo pois ainda não sabem andar com suas próprias pernas. É nosso dever ir ao culto, ouvir a Palavra e orar uns pelos outros, mas não devemos fazer disso uma muleta espiritual que nos impeça de caminhar diariamente com Deus e experimentar um glorioso avanço em nossa caminhada de fé. A nossa jornada é longa e não podemos estacionar. Devemos seguir a Jesus como Ele mesmo disse: “tome cada dia a sua cruz, e siga-me” (Lc 9.23). Não é um passo a cada domingo, uma vez por semana, e sim a cada dia. Como peregrinos e forasteiros que não tem pouso neste mundo sombrio, prossigamos para o Lar Celestial cantando:

A cada passo vou me aproximando/daquele lar que Cristo prometeu/e passo a passo sigo caminhando/a cada instante mais perto de Deus”.

Concordância

Há quase três mil anos atrás o profeta Amós perguntou: “Andarão dois juntos, se não houver entre eles acordo?” (Am 3.3 – ARA). Este questionamento nos sugere que há uma concordância de mente entre pessoas que andam juntas. Não é comum marcar uma caminhada com quem vive discordando de você e é antagonista a tudo o que você pensa, diz e faz. Gostamos de conviver com pessoas que falam a nossa “língua”, que gostam do que a gente gosta e que têm ideias semelhantes às nossas.  Isto não quer dizer que não devamos nos relacionar com o diferente, mas que a nossa vida de maneira geral é sempre acompanhada por pessoas que possuem os mesmos interesses que nós.

Andar no Espírito” também significa estar em concordância com Ele. O Espírito Santo é uma Pessoa Divina, e sendo uma pessoa, Ele se relaciona conosco. É Seu desejo que a nossa mente esteja alinhada a dEle, e que caminhemos na mesma cadência dos Seus passos. Jesus o apresentou como o Guia (Jo 16.13), e o cristão deve submeter aos Seus apontamentos, direções e conselhos. A peregrinação espiritual é perigosa, há muitas emboscadas no caminho, mas o Espírito conhece muito bem a estrada, e faremos bem em segui-Lo.

Se você ler o primeiro capítulo de Ezequiel, irá deparar com criaturas estranhas que não conseguimos compreender com a razão, o máximo que podemos é apelar para a nossa imaginação, mas ainda assim não conseguimos ter uma ideia perfeita dos seres ali apresentados. No entanto, os elementos daquela visão nos ensinam coisas profundas. Ezequiel viu criaturas acompanhadas por rodas, e onde as criaturas iam aquelas rodas iam também, “porque o espírito dos seres viventes estavam nas rodas” (Ez 1.21 – AEC). Assim também é o crente, ele segue os comandos de Cristo na Sua Palavra porque o Espírito de Cristo habita nele. Se os serem andavam ou paravam, subiam ou desciam, as rodas faziam o mesmo, e de igual modo devemos obedecer aos impulsos do Espírito, abrindo mão de nossa vontade própria sendo submissos a Ele. Aquele que anda no Espírito precisa ter concordância com a Sua soberana vontade, caminhando na mesma sintonia, subordinando-se de forma voluntária e amorosa as Suas ordens.

Conclusão

Concluímos então que andar no Espírito é:

  1. Seguir o modelo de Cristo em nossa maneira de viver;
  2. Uma ação contínua que nos leva ao progresso espiritual;
  3. Viver em concordância com o Espírito Santo.

Por fim resta-nos dizer que quem caminha sempre vai a algum lugar. O cristão sabe para onde vai e tem um destino claro e definido. Paulo disse: “Prossigo para o alvo” (Fp 3.14). Ele não estava andando sem rumo ou desorientado como uma barata tonta, ele tinha um alvo! Andar no Espírito é caminhar em direção ao nosso maior objetivo: DEUS. Se formos submissos a voz do Espírito chegaremos lá, e teremos cumprindo o propósito para o qual fomos criados como bem esclareceu John Piper: “O fim supremo e principal do homem é glorificar a Deus AO gozá-Lo plena e eternamente”[i]. Se andarmos com o Espírito aqui, desfrutaremos de um profunda comunhão com Ele, Jesus e o Pai por toda a Eternidade. Amém.

Em Cristo,

Gabriel Oliveira


[i] PIPER, John. Em busca de Deus: a plenitude da alegria cristã. São Paulo, SP: Shedd Publicações, 2008. pg. 10.