NÃO SEJAIS IGNORANTES!




Em nosso primeiro podcast enfatizamos a necessidade de entendimento para a fé. Mas, e depois de crermos, devemos cessar a nossa busca pelo entendimento das Escrituras? A resposta é um sonoro NÃO! Um homem que teve a sua mente iluminada pela obra do Espírito Santo e deixou de crescer no conhecimento da palavra de Deus, está cometendo um terrível desperdício.

“Conheçamos, e prossigamos em conhecer ao SENHOR”, afirmou o profeta Oseias (Os 6.3a). Precisamos entender que a conversão não é um fim em si mesma. Agora que você foi salvo e já conhece ao Senhor, deve ter uma busca contínua pelo conhecimento de Deus. Conhecer ao Senhor produz salvação (Jo 17.3), mas prosseguir em conhece-Lo faz parte do processo de desenvolvimento da nossa salvação (Fp 2.12). Há muitos que se convertem mas não crescem porque não procuram se aperfeiçoar por meio do conhecimento de Deus através da Sua palavra.

A oração de Paulo era para que os crentes em Colossos fossem “cheios do conhecimento […], em toda a sabedoria e inteligência espiritual” (Cl 1.9b). Ele ansiava ver os irmãos cheios; Paulo não era minimalista, não se contentava com o pouco. Seu desejo era ver uma igreja com raízes profundas na palavra do Senhor.

Mas alguém pode interpelar: Pedro e João eram apóstolos, porém em Atos 4.13 a bíblia afirma que ambos “eram homens comuns e sem instrução” (NVI)! Sim, a Bíblia realmente afirma isso. Porém a questão é: o que isto significa? Sabemos que Pedro e João eram pescadores e faziam parte do grupo de indivíduos que não havia recebido educação formal nas escolas rabínicas do seu tempo. Mas isto não significa que não possuíam nenhum conhecimento. Em seu primeiro sermão após a descida do Espírito Santo, Pedro faz citações do profeta Joel e do salmista Davi (ver At 2.16-21, cf. Jl 2.28-32; At 2.25-28, cf. Sl 16.8-11; At 2.34,35, cf. Sl 110.1). No seu segundo discurso após a cura do coxo na porta do Templo ele recita Moisés (At 3.22, 23, cf. Dt 18.15, 19), e quando foi levado diante das autoridades recita mais uma vez os Salmos (At 4.11, cf. Sl 118.22). Em Atos 4 Pedro deu uma verdadeira aula de bíblia para os homens mais entendidos do seu tempo, interpretando corretamente as profecias do Antigo Testamento a respeito do Senhor Jesus Cristo. Este mesmo Pedro, “sem instrução”, escreveu duas epístolas e ainda aconselhou o povo de Deus sob a inspiração plena do Espírito Divino: “crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo” (2Pe 3.18a). Portanto, usar a figura de Pedro como subterfúgio para se esquivar da busca pelo conhecimento, é entrar em desacordo com a própria palavra de Deus!

Os apóstolos se mostraram fiéis em repassar à igreja os ensinamentos de Jesus. A igreja primitiva perseverava “na doutrina dos apóstolos” (At 2.42a). E o que é doutrina? Doutrina é ensinamento. A Igreja Primitiva crescia em quantidade e qualidade porque estava sendo constantemente nutrida com a palavra de Cristo.

Alguns crentes se veem no direito de buscar o poder e não conhecer a Bíblia. A igreja de Corinto possuía todos os dons espirituais (1Co 1.7), entretanto Paulo dedica grande parte da sua primeira carta a esta igreja para corrigir a tamanha desordem que havia no culto, principalmente no que se referia ao uso dos dons. Aqui nos cabe perguntar: Por que a igreja em Corinto era tão desordenada mesmo tendo a plenitude dos dons? E a resposta é: IGNORÂNCIA! Paulo escreveu àqueles irmãos: “Acerca dos dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes” (1Co 12.1) […] “vos quero fazer compreender” (1Co 12.3a). E ainda: “Orarei com o meu espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento” (1Co 14.15). Paulo entende que é possível unir fogo espiritual e profundidade intelectual na vida cristã. A mesma expressão o apóstolo dos gentios dirige à igreja em Tessalônica quanto à questão dos que morrem em Cristo: “Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem” (1 Ts 4.13a). Veja! Uma vez mais ele aponta o problema da igreja neste assunto: IGNORÂNCIA! Deus quer que sejamos instruídos na palavra da verdade, e não ignorantes.

Se você já é um estudioso da bíblia, também não deve se conformar com o conhecimento que já tem. Timóteo desde a sua meninice conhecia as Escrituras (2Tm 3.15), todavia, o conselho de Paulo ao jovem pastor foi: “persiste em ler” (1Tm 4.13a). O próprio Paulo pede a Timóteo para levar os livros e os pergaminhos quando este fosse visitá-lo (2Tm 4.13). Mesmo sendo um profundo conhecedor das Escrituras e da cultura do seu tempo, Paulo reconheceu sua necessidade de conhecer mais. Ele não disse: “já sei de tudo, já fui até ao terceiro céu (2Co 12.2)!” Ele se considera um eterno aprendiz. Se um homem como Paulo, cheio do Espírito do Senhor, separado para o santo Colégio Apostólico, inspirado por Deus para receber, transmitir e registrar grande parte das Escrituras do Novo Testamento sentiu esta profunda necessidade; como ousamos achar que não temos esta necessidade?

Em Cristo,
Gabriel Victor Cardoso de Oliveira.