Maturidade no casamento




Salmo 1
1 Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.
2 Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.
3 Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará.
4 Não são assim os ímpios; mas são como a moinha que o vento espalha.
5 Por isso os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos.
6 Porque o Senhor conhece o caminho dos justos; porém o caminho dos ímpios perecerá.

Seguimos nesse espaço abordando temas da vida conjugal. Nesta edição, trazemos cinco questões que certamente nos mostrarão se estamos ou não atingindo a desejada maturidade no casamento.


1 – Você é cuidadoso ao fazer críticas?


A falta de delicadeza ao se referir a uma falha do cônjuge tem se tornado um grave problema entre os casais. Vemos em Provérbios 15:1 (” A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira “) um conselho muito especial, que se posto em prática com certeza vai contribuir para uma convivência muito mais pacífica no lar.


2 – Você está disposto a -às vezes- sacrificar sua vontade em relação ao cônjuge?


Abrir mão do que se gosta é certamente uma demonstração de maturidade para a manutenção do matrimônio, além de cumprimento do que diz Paulo em I Coríntios 13:5-b: “O amor não busca seus interesses”.


3 – Você é gentil mesmo quando seu cônjuge não é?


Mostrar gentilezas às vezes não é fácil. A regra do mundo é grosserias gerando grosserias. Mas a do cristão é diferente. Observe Lucas 6:29: “ Ao que te ferir numa face, oferece-lhe também a outra”.


4 – Você é emocionalmente estável?


Crianças e adolescentes não são estáveis quando contrariados. Marido e mulher devem buscar equilíbrio emocional, evitando assim desgastes desnecessários no relacionamento.


5 – Você admite quando está errado?


Em grande medida, isso pressupõe um pedido de desculpas, o que na verdade não é um sinal de fraqueza, como muitos imaginam. É sim de humildade, e tem recompensa diante de Deus. Veja Mateus 23:12: “ E o que a si mesmo se exaltar será humilhado; e o que a si mesmo se humilhar será exaltado”
Esses pontos podem ajudar bastante na vida conjugal e estabelecer um relacionamento maduro entre os cônjuges.
Até a próxima, debaixo da benção de Deus!
Pr. Ângelo Fernandes