Lançai sobre ele toda a vossa ansiedade… (I Pedro 5.7)




O “mal do século”, podemos assim considerar a ansiedade. Um mal que tem acometido as pessoas de forma assustadora, prejudicando os relacionamentos, o convívio familiar, a saúde física e mental. Todos nós possuímos sonhos, traçamos projetos e planos para a nossa vida, e com isso de alguma forma sofremos com a ansiedade, contudo, precisamos saber como lidar com os nossos anseios.

Quero compartilhar com você caro leitor o texto do amigo e irmão, Neemias Mendes. Texto que tomamos como base e inspiração na abordagem do assunto em questão:

“A ansiedade é um sentimento que está intimamente ligado aos seres humanos, somos ansiosos por natureza, estamos sempre tentando dar um passo à frente e muitas vezes não levamos em consideração as nossas limitações. Não é difícil encontrar pessoas que estão ansiosas e preocupadas com os acontecimentos futuros, mas que não são capazes de gerir a sua vida no presente momento. Por vezes não sabemos como tratar as situações que estão a nossa volta, que dirá prever o futuro. Estamos apenas no início do Século XXI e se fôssemos estigmatizar a atual geração viria certamente o sentimento Chamado Ansiedade ocuparia o primeiro lugar do “podium”.

Esse mal do século atinge a maioria absoluta da população do planeta, essa realidade tem sido ainda mais avassaladora quando o nosso olhar se volta para os nossos adolescentes e Jovens, o resultado disso é uma geração fraca, sem personalidade própria, pobres de espírito e sem forças para vencer as adversidades que são inerentes à vida humana. Essa situação ocasiona ao longo do tempo uma situação de impotência levando essas pessoas a perderem o sentido da vida, levando milhões a cometerem o suicídio, como sendo a única solução para os problemas.

Se rebuscarmos na linha do tempo na tentativa de identificar a causa raiz desse problema, encontramos diversos fatores e um deles (talvez o principal) é a busca dos jovens em adquirir o corpo perfeito, adquirir roupas e calçados da moda e etc… Tentando acompanhar os “Padrões de Beleza”, ou a tentativa exacerbada e inconsequente de acompanhar os últimos lançamentos do pujante mercado da tecnologia com os seus Smartphones, tablets e seus periféricos, que são lançados anualmente pelas grandes Companhias do Setor e enfatizadas em campanhas publicitárias milionárias veiculadas

nos canais de comunicação Tradicionais (Televisão, Rádio e jornais) mais principalmente pelas Redes Sociais, que tem o poder de atingir as “massas”, penetrando em grande parte da população, cada vez mais conectada.

Imagine um Agricultor que plantou em sua Roça um determinado tipo de Semente que tem o seu tempo desde a semeadura até a colheita de 06 meses, imaginamos que esse nosso agricultor tomado de ansiedade para colher os seus frutos, pensando talvez no lucro que terá com a venda de suas sementes, resolve ceifar sua plantação antes do tempo estimado? Certamente todo o trabalho será perdido, o tempo despendido, os recursos gastos foram por “agua abaixo”.

A história contida no parágrafo anterior ilustra exatamente o que acontece com os nossos Jovens, eles querem colher o que não plantaram e quando plantam, querem colher antes do tempo, não sabendo que a colheita para ser boa precisa acontecer no exato momento, não antes e nem depois.

Conta-se uma Historia que um diretor de uma empresa Multinacional foi entrevistar um jovem que participava de um processo seletivo á uma vaga de estagio na referida empresa, ao ser questionado sobre qual seria o plano de carreira e o que ele esperava para o Futuro, ele diz de uma forma bem direta: Quero assumir dentro de poucos anos o seu lugar…

Ambicionar, fazer planos, não é o problema a questão é a forma que lidamos com tudo isso, desenvolvemos um cronograma de vida e lutamos como todas as forças para que tudo aconteça a contento, surge a partir desse momento a ansiedade exacerbada para perseguir todas as metas e não contamos com o imponderável, os percalços e problemas que podem vir a acontecer, nessa linha de pensamento, nada pode dar errado e quando acontece o infortuno, o “Castelo de Areia” cai.

Pautando esse tema nas Sagradas Escrituras, podemos verificar que desde a antiguidade a ansiedade destruiu muitas histórias, pessoas que tinham um futuro promissor, mas tropeçaram na “pedra” da falta de paciência. No Capitulo 13 do Primeiro livro do Profeta Samuel (versos 8 a 23), vemos a passagem de um homem chamado Saul que recebera da parte de Deus um chamado maravilhoso, mas que no momento de aperto em que passou, deixou a ansiedade tomar conta e não conseguiu esperar a chegada do profeta Samuel para o oferecimento do Holocausto.

Saul estava passando um momento extremamente difícil no seu reinado, os Filisteus haviam cercado os Israelitas com tantos homens que não era possível a sua numeração, Samuel convocou o ajuntamento em Gilgal, para oferecer Sacrifícios ao Senhor no prazo de Sete dias. Certamente o rei passou esses dias aguardando com muita ansiedade, mas no ultimo dia, quando Samuel já chegava próximo a Cidade, Saul decidiu oferecer o Holocausto. A partir desse dia ele foi reprovado pelo próprio Deus, tendo o seu reino rasgado e não somente o reinado, mas a extinção de uma dinastia.

Davi agiu paradoxalmente as atitudes tomadas pelo até então rei de Israel, após o Senhor rasgar o reinado de Saul e ungi-lo como rei, ele aguardou pacientemente chegar a “Sua Vez”. Talvez nessa fase de sua vida que ele vai compor o belíssimo Salmo 40 que diz no seu primeiro versículo – “Esperei com Paciência no Senhor”.

Portanto, prezado jovem a ansiedade deve ser tratada e dominada, ela não pode te dominar. Pois pessoas ansiosas querem controlar e demarcar os dias futuros, querem que as coisas aconteçam no momento previsto por elas. E então, se tornam pessoas decepcionadas, frustradas e depressivas porque as coisas não acontecem a seu bel-prazer.

A ansiedade tomou conta do coração de Raquel, chegando a ponto de dizer para Jacó: “Dá-me filhos, se não morro” (Gênesis 30.1). Quanta ansiedade! Não é mesmo? Podemos perceber também que Raquel tinha o amor de Jacó, mas era ansiosa e angustiada, porque não possuía filhos. E Léia, no entanto, tinha muitos filhos, porém ansiava por atenção e amor de Jacó.

Jacó por sua vez compreendia bem, que nada acontece sem permissão e vontade de Deus, ao responder e indagar à Raquel: “Estou eu no lugar de Deus?” Precisamos assim também entender, que é no tempo de Deus e não no nosso. O tempo só a Ele pertence é necessário então termos paciência e esperar.

Em Provérbios 12.25 está escrito: “a ansiedade no coração deixa o homem abatido”. Jovem, não deixe então o seu coração triste e abatido por seus anseios. Como fazer isso Pastor? Lançando sobre o Senhor a sua ansiedade. Quem nesse mundo é melhor que o nosso Deus para ajudar uma pessoa ansiosa? Portanto,

tenha confiança, convicção que Deus cuida de você e dos seus projetos. Entregue seus sonhos e propósitos em oração para o dono do tempo. Saiba que você pode ser feliz, entregando hoje o seu futuro nas mãos de Deus.

Pastor Jeferson Henrique


Posts Relacionados