Aprendendo fazer festa




No evangelho segundo escreveu Lucas 1:35-55,trata da história de duas mulheres cheias de graça que conservaram a alegria numa situação difícil. A primeira foi Isabel ,mulher com idade avançada e estéril, que servia no templo com o marido sacerdote. De repente aos 70 anos de idade ela descobriu que estava grávida.

Este fato a aliviaria do opróbrio entre os homens, mas onde encontraria forças para dá a luz um filho quando seu corpo já não era jovem? E como já idosa poderia cuidar de um bebezinho…?

Do outro lado vemos uma bela jovem virgem,desposada,noiva de José. Recebeu uma promessa também por intermédio de um anjo. De repente seu corpo começa avolumar- se com a gravidez.

Maria foi mal interpretada olhada com desdém e difamada.Com certeza muitas outras mulheres a evitavam- na.

Sofrer a dor moral e ser mal interpretada é muito mais traumático do que o castigo físico , pois fere a nossa natureza interior e pode anular o calor da nossa alegria.

Gravidez aos70 anos ou aos 17 anos nos dois casos há sempre problemas e situações diversas para lidarem.

Isabel aguardava o nascimento de seu filho João Batista, acredito que ela orava pelo ser que formava dentro dela.

Seis meses depois, Maria dirigiu-se a uma cidade da região montanhosa para visitar a prima Isabel. No momento que Maria bateu a porta e disse : “ Olá” , Isabel que nada sabia respondeu: “Oh eu sinto a presença da Vida, meu bebê saltou de alegria “ e Isabel foi cheia do Espírito Santo.

Aqui aprendemos uma lição extraordinária:

“Aprender a fazer festa com quem também foi agraciada”

Muitas vezes não conseguimos regozijar com outras pessoas, amigas , irmãs, pois parece que o que ela recebeu é melhor, é maior que aquilo que recebemos. Na nossa sociedade, entre nós mulheres principalmente como isso acontece…com essas atitudes anulamos anos de espera, caminhos que a outra pessoa percorreu para que hoje pudesse desfrutar do presente recebido.

Ficamos tão focada naquilo que o outro recebeu que até esquecemos da dádiva que alcançamos pela misericórdia do Senhor. Mas no contexto dessa história tão linda podemos aprender uma lição tão valiosa, O sentimento de gratidão! Somente quem desfruta , vive esse sentimento diariamente , consegue alegrar com a vitória dos outros.

Maria ao saber da benção de Isabel foi ao seu encontro, (não para bisbilhotar…) Era tão puro e genuíno o seu sentimento de alegria que ao chegar na casa de Isabel a criança mexeu no ventre houve manifestação da vida, Isabel foi tomada pelo Espírito Santo.

A bela reação de Maria diante do júbilo de Isabel foi a de irromper em cântico , (Lucas 1:47-55)

Aleluia! Que sentimento nobre..

Ela cantou : “ A minha alma engrandece ao Senhor”

Maria conservava o coração jubiloso apesar de qualquer obstáculo a sua volta.

A alegria é um sentimento que contagia do mesmo modo que a tristeza, a inveja, somos transparentes.

Como mulheres nossa vida influencia a atmosfera do lar, a atitude dos amigos , esposo e filhos. Se somos amargas e estamos sempre munidas de palavras duras e afiadas , eles começam a definhar .

É tempo de aprender a fazer festa, alegrar com as vitórias daqueles que nos cercam.

Maria permaneceu por quase três meses com sua prima e depois voltou para sua casa. Imagino quantos momentos incríveis as duas passaram juntas, trocas, experiências compartilhadas.

Maria tinha alguém muito especial no seu ventre” O nosso Salvador” aos olhos de alguém a benção era muito maior para uma jovenzinha sem experiência, mas não foi esse o sentimento de Isabel , pois no seu ventre estava alguém também especial, gerado para um propósito , o Evangelista João Batista que seria o precursor de Jesus.

Queridos leitores , quando compreendermos que para todas coisas Deus tem um propósito vamos espalhar mais alegria e exalar gratidão, pois somente dessa forma a nossa alma de verdade fará festa.

Amém

“A minha Alma engrandece ao Senhor”

Um abraço especial

Erilany Allied