Álcool Gel é Indispensável?




Diante da presente pandemia do novo coronavírus, causador da doença COVID-19, tem se observado o frenesi da população em busca de compostos para a higienização das mãos, sendo que o mais procurado de todos tem sido o álcool gel.

Essa doença viral que acometeu o mundo há pouco tempo tem mostrado seu altíssimo potencial de transmissibilidade, e por isso medidas de higiene pessoal e isolamento social devem ser seriamente adotadas para tentar minimizar os riscos de contágio.

Por mais que a maior parte da população esteja ansiosa atrás de um frasco de álcool gel, infelizmente informações não tão claras ou com verdades parciais são amplamente veiculadas, e não existe nada mais contagioso e perigoso à saúde do que a desinformação.

Acontece que o álcool gel não faz milagre matando qualquer tipo de microrganismo, especialmente vírus, que normalmente possuem uma estrutura externa chamada envelope, composta principalmente de lipídios (gordura), a qual é uma barreira significativa para a ação de produtos químicos.

Para uma higiene adequada das mãos é indispensável o uso de água corrente e sabão, e isso porque o sabão possui moléculas que se ligam às moléculas de gordura de vírus e bactérias, enquanto outras moléculas se ligam à água. Assim, é como se o sabão aprisionasse os microrganismos e a água, na hora do enxágue, os removesse em uma “enxurrada”. Isso associado ao uso de álcool etílico 70% tem apresentado em estudos científicos uma significativa redução de microrganismos das mãos.

É importante salientar que o uso de álcool gel ou líquido não substitui a lavagem das mãos, e um uso de grandes quantidades de álcool diminui a eficácia do mesmo. Inclusive, na ausência de álcool etílico uma lavagem adequada das mãos pode ser suficiente para evitar o contágio.

A seguir veremos passos básicos para a correta lavagem das mãos:

  1. Molhe as mãos e punhos em água corrente;
  2. Dispense o sabão/detergente e esfregue as palmas das mãos;
  3. Em seguida esfregue as unhas contra as palmas;
  4. Depois, esfregue as regiões entre os dedos e os polegares;
  5. Com as mãos abertas, esfregue o dorso das mãos;
  6. Após, esfregue os punhos em movimentos circulares;
  7. Por fim, enxágue as mãos em água corrente na direção dos punhos para as pontas dos dedos – nesse momento as mãos não devem mais ser encostadas ou esfregadas uma na outra; deixe que somente a água remova toda a espuma;
  8. Seque as mãos preferencialmente com toalhas descartáveis de papel.

É importante que cada parte da mão seja esfregada por pelo menos 5 segundos. Feito isso, pode-se proceder ao uso do álcool etílico 70%, o qual deve ser bem friccionado em mãos bem secas até não ser mais sentido. Além disso, álcoois em concentrações muito maiores ou menores do que 70% são ineficazes para a higienização das mãos: abaixo de 60% o álcool perde a efetividade e há um grande volume de água, o que proporciona um meio ideal para a proliferação de microrganismos patogênicos; acima de 80% o teor alcoólico é muito elevado, e assim o composto evapora muito rápido, além e ressecar a pele, danificando a barreira natural do corpo contra qualquer tipo de agente agressor.

O fundamental de tudo é que, mediante informações claras e corretas, deve-se evitar a histeria por falta de produtos que são auxiliares na higiene das mãos, como é o álcool gel.