A Importância da Vacinação




A vacina como método de imunização surgiu no final do século XVIII em virtude dos estudos e ensaios do médico inglês Edward Jenner, e desde então esse tem sido o método mais efetivo contra muitas doenças.

A vacinação é extremamente importante, pois além de imunizar o indivíduo, impede ou retarda o ciclo infectocontagioso, que nada mais é que o processo de transmissão de doenças virais e bacterianas entre seres humanos. Tal avanço na área da saúde possibilitou à humanidade um sensível aumento na expectativa de vida da população, pois as principais doenças relacionadas ao crescimento das cidades e aos problemas de saneamento básico principalmente, começaram a ser controladas e até mesmo erradicadas em muitos lugares.

Entretanto, assim como ocorreu no Brasil em 1904 na chamada “Revolta da Vacina”, por desconhecimento muitos ainda temem que ela seja maléfica para o ser humano. Por essa razão é fundamental entender a razão pela qual ela é importante e como ela age em nosso organismo.

Como a Vacina Age?

A vacina é o método mais eficiente na prevenção de doenças infecciosas e se utiliza das defesas do próprio organismo para isso.

Na verdade, a vacina estimula o sistema imunológico a produzir agentes de defesa contra a doença em questão. A vacina contém os microrganismos causadores da doença mortos ou enfraquecidos ou a toxina produzida por eles, mas manipulados e controlados de maneira a se tornarem fracos a ponto de não causarem danos. Uma vez dentro do organismo, isso será reconhecido como um agente agressor, e o sistema imunológico produzirá anticorpos para combater a doença em questão.

Acontece que o sistema imunológico possui memória. Assim, uma vez que o organismo tenha sido infectado por determinada doença, sempre haverá disponível no corpo anticorpos para combatê-la, e assim quando for exposto ao agente agressor, o organismo conseguirá evitar a instalação da doença em questão. Em outras palavras, a vacina provoca uma infecção sem causar a doença, dando ao corpo as informações necessárias para combater e evitar que o organismo padeça de tal enfermidade.

É bastante comum também que algumas vacinas provoquem alguns sintomas da doença que se pretende combater. Isso é bastante recorrente no caso da vacina contra a Influenza (vacina contra gripe), em que pessoas vacinadas podem apresentar sintomas gripais. Isso, na verdade, mostra a efetividade da vacina, pois os sintomas revelam que o organismo está criando mecanismos de defesa contra aquele agente agressor, o que impedirá que um quadro gripal “de verdade” se instale.

A Importância da Imunização por Vacina

Por mais desconfortável que possa ser, a vacinação é o mais eficaz método de imunização contra infecções, o que garante segurança para a pessoa em si e impede que ela seja um transmissor de tal doença para outras pessoas ao seu redor.

Foi por meio da vacinação que doenças com alto grau de morbidade (potencial de causar doenças e danos permanentes) e mortalidade, sobretudo infantil, foram controladas e até mesmo erradicadas do Brasil, como sarampo, febre amarela, rubéola, varíola, tétano, poliomielite (paralisia infantil), hepatite e HPV (Papilomavírus Humano) por exemplo.

É por esse motivo que a maioria das vacinas administradas no Brasil são obrigatórias logo nos primeiros anos de vida, e é responsabilidade dos pais ou responsáveis pela criança monitorar isso. Para que as doenças não progridam é fundamental manter a carteira de vacinação em dia – aliás, o fruto de um movimento “antivacina” fez com que o sarampo, doença erradicada no Brasil desde 2016, voltasse com força total, colocando em risco muitas vidas.

Além disso, algumas vacinas necessitam de doses de reforço ao longo da vida, como é o caso das vacinas contra febre amarela, sarampo e tétano. Por isso adultos também devem estar atentos aos ciclos de imunização para colocarem sua vacinação em dia. Vale lembrar que essas vacinas são disponibilizadas gratuitamente pelo SUS nas Unidades Básicas de Saúde. Basta comparecer com a carteira de vacinação.