A Busca por Dentes Mais Brancos




            Com o avanço das tecnologias e o grande apelo estético do mundo atual, a face entra em destaque como a parte do corpo que é mais submetida a procedimentos estéticos. Incluso nisso está o desejo de grande parte das pessoas de possuírem dentes mais brancos e um sorriso mais claro, e para isso inúmeras “receitas caseiras” são oferecidas e ensinadas na internet, e que invariavelmente causam mais danos que benefícios.

Primeiramente, é preciso entender que, pela composição dos dentes, o normal é que eles possuam uma cor mais amarelada. Isso acontece porque o esmalte dentário, que recobre toda a parte da coroa dos dentes, é um mineral mais translúcido, já a dentina, que está abaixo, é mais opaca e amarelada (Figura abaixo). Assim por transparência os dentes tendem a aparecer mais amarelados, o que é uma coloração perfeitamente natural, e não necessariamente um indicativo de má higiene ou algum problema.

O Perigo das Receitas Caseiras

Dentre algumas “receitas caseiras” para se branquear os dentes está a mistura de limão com bicarbonato de sódio. O grande problema dessa mistura, apesar de dar a sensação de dentes mais brancos, é que o limão possui um pH perto de 2,0, ou seja, excessivamente ácido e corrosivo, o suficiente para dissolver a estrutura mineral dos dentes – aliás, o esmalte dentário, que é a estrutura mineral mais resistente do organismo, começa a se dissolver irreversivelmente em um pH igual ou menor que 5,5 (lembrando que quanto menor o pH, maior a acidez). Associado a isso, tem-se o bicarbonato de sódio, que é uma substância abrasiva. Assim, quando se mistura um ácido que “dissolve” o esmalte dentário com um componente abrasivo, isso promove um sensível desgaste no esmalte dentário, podendo causar lesões, úlceras na mucosa oral, destruição dentária e sensibilidade nos dentes.

Outra receita perigosa e que está na moda é o carvão ativado. Fato inegável são as boas propriedades desse tipo de carvão, no entanto quando aplicado diretamente sobre os dentes ele pode causar danos irreparáveis. Isso se dá porque o carvão também é abrasivo e, quando friccionado sobre os dentes, promove ranhuras e desgastes, causando sensibilidade e tornando os dentes mais propensos ao acúmulo de placa bacteriana e consequentemente ao desenvolvimento de cárie dental. Ainda, vale ressaltar que a falsa percepção de branqueamento dos dentes se dá por contraste, ou seja, o carvão, que é preto, fica sobre os dentes, e quando é removido, dá a impressão de que os dentes ficaram mais brancos, quando na verdade isso é apenas uma artimanha de nosso cérebro, que tende a destacar cores em contraste.

Pastas Clareadoras

Também é bastante comum no mercado a imensa variedade de pastas clareadoras. Além do preço injustificável, esses produtos, quando usados continuamente, podem causar sérios problemas. Isso acontece porque, em regra geral, eles possuem uma quantidade maior de bicarbonato de sódio em sua composição, que, como já visto, é um composto abrasivo – é bom lembrar que pastas de dentes comuns já possuem certa quantidade de bicarbonato de sódio, o que é excelente para a limpeza dos dentes, porém pastas clareadores possuem uma quantidade muito maior. Desse modo, o uso contínuo de dentifrícios clareadores pode causar lesões no esmalte e até mesmo na raiz do dentes.

Consequências

Dentre as consequências mais comuns envolvidas em métodos não profissionais de clareamento dos dentes – tanto de receitas caseiras quanto de pastas clareadoras – estão a erosão, que é uma corrosão química por substâncias ácidas, e a abrasão, que nada mais é que um desgaste físico dos dentes.

Não raramente em pessoas que fazem uso desses métodos é possível observar lesões bem características, que aparecem na porção dos dentes que se encontra mais perto da gengiva, além de ocorrer também uma exposição anormal das raízes dos dentes, provocando sensibilidade e cárie de raiz (figura abaixo).

Cuidado Profissional

É possível sim lançar mão de recursos saudáveis e menos agressivos para se obter um bom clareamento dental, no entanto isso só deve ser feito com acompanhamento de um Cirurgião-dentista.

Para um efetivo clareamento usam-se normalmente duas substâncias: o peróxido de hidrogênio, que só deve ser utilizado por um profissional em consultório, uma vez que em contato com gengivas, lábios e mucosa oral, causa queimaduras e lesões importantes. Utiliza-se também o peróxido de carbamida, vulgarmente chamado de “clareamento caseiro”, pois este, por ser uma substância mais fraca, pode ser utilizado pelo paciente em casa, mas isso sempre sob supervisão e indicação de um profissional.

Ambas as substâncias promovem um clareamento químico, pois entram nos dentes por difusão e destroem as moléculas que colorem os dentes. Contudo, é importante salientar que para que seja possível esse clareamento, o fator fisiológico de cada pessoa é o mais importante. Isso significa dizer que duas pessoas submetidas à mesma terapia para clareamento podem ter resultados diferentes, e outros ainda podem nem mesmo responder ao tratamento, e isso por questões fisiológicas de cada indivíduo. Ademais, não invariavelmente o processo de clareamento pode causar sensibilidade nos dentes, uma vez que a substância utilizada é irritante aos tecidos. Por isso, sempre associado a um tratamento profissional de clareamento deve-se utilizar o bochecho com solução de fluoreto de sódio 0,05% uma vez ao dia, a fim de minimizar os efeitos colaterais.

Outra questão importante a ser destacada é que nem todas as pessoas podem ser submetidas a um tratamento dessa natureza, pois para se realizar um clareamento devem estar presentes indicações para isso. Por exemplo, dentes que possuem manchamentos estruturais (no próprio esmalte, como fluorose, mancha branca por cárie, etc), que foram submetidos a tratamento endodôntico (tratamento de canal) ou possuem grandes restaurações tendem a não responder satisfatoriamente ao clareamento, podendo produzir resultados indesejados. Por isso uma indicação profissional de qualidade é indispensável.