Priorizando a família




“1 Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia.

2 Pelo que não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se projetem para o meio dos mares;

3 ainda que as águas rujam e espumem, ainda que os montes se abalem pela sua braveza.

4 Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o lugar santo das moradas do Altíssimo.

5 Deus está no meio dela; não será abalada; Deus a ajudará desde o raiar da alva.

6 Bramam nações, reinos se abalam; ele levanta a sua voz, e a terra se derrete.

7 O Senhor dos exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio.

8 Vinde contemplai as obras do Senhor, as desolações que tem feito na terra.

9 Ele faz cessar as guerras até os confins da terra; quebra o arco e corta a lança; queima os carros no fogo.

10 Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra.

11 O Senhor dos exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio.”

Priorizei, em meus propósitos para 2020, o relacionamento familiar. Nesses anos servindo ao Senhor, tenho visto muitas famílias sendo restauradas pelo poder do evangelho. Infelizmente, por outro lado, também tenho tido o desprazer de assistir o desmoronamento de tantos lares cristãos. Crentes que estão preocupados em pregar para os outros, em “fazer a obra de Deus”, se esquecem de cobrir a sua retaguarda. Não se dedicam ao relacionamento familiar, e deixam passar questões básicas do lar.

Parafraseando o Senhor Jesus em Mateus 23:23 digo: “Deveis fazer estas coisas e não omitir aquelas”. Precisamos sim pregar o evangelho, porém devemos melhorar nossas atitudes em casa, dedicar mais atenção ao cônjuge.

O marido e a esposa precisam se sentir amados, valorizados no casamento. Esse descuido na relação pode comprometer seriamente a união do casal. Demonstrar apreço pela família, trazer para o dia a dia mais diálogo – hoje tão suprimido pela tecnologia.

Sempre que possível, ler a Palavra de Deus em família, com oração e louvor gera frutos extraordinários. Apresentar o perdão como o mais eficaz remédio contra os ressentimentos, evitando assim a raiz de amargura nos corações.

Como disse anteriormente, questões simples não devem ser negligenciadas, sob risco do caos ser instalado nas famílias, como se vê com tanta frequência nesse tempo.

Que Deus nos dê graça para zelarmos do nosso bem maior nessa vida: a família que Ele nos deu!